Categorias de navegação

Bem Estar

em Bem Estar, Lifestyle, Mente Sã
10 set, 2020

ROTINA CONSCIENTE

Vivemos em um momento de incertezas e inconstâncias que nos faz ficar dentro de casa e, realmente, dentro de nós mesmos. Sabemos que olhar para dentro pode ser desafiador, uma vez que você estará acompanhado de si 24h por dia, sem fuga, sem filtros e rótulos.

Mas calma, isso é necessário e passageiro! É necessário que encontremos a cura dentro de nós mesmos, pois nós é quem sabemos a nossa verdadeira essência e identidade.

O tal “conheça-te a ti mesmo” começa com a auto observação diária de nossos hábitos e rotinas. Comece anotando o que têm feito diariamente e repetitivamente e depois analise quais são ações positivas, que trazem conforto, e quais são ações repreensivas e/ou metódicas, desnecessárias.

Segundo a Ayurveda (“Ciência da Vida”), tradicional sistema de cura da Índia, para termos uma vida saudável e longevidade precisamos seguir uma rotina diária específica, chamada Dinacharya, que respeita as individualidades, sazonalidade e os ciclos da natureza. É preciso estabelecer a vida diária com tranquilidade, leveza e dedicação, para que as repetições criem hábitos saudáveis.

Apesar de existirem infinitas particularidades, podemos aqui deixar algumas dicas gerais de como organizar uma rotina consciente e harmoniosa neste momento, vamos lá?

1º Separe um momento do seu dia em você possa estar tranquila(o) e “sozinha (0)” e faça uma lista de suas atividades diárias obrigatórias neste momento de isolamento. Escreva tudo mesmo!

2º Entenda que respeitar a sazonalidade e a natureza nada mais é do que você se deixar fluir no ciclo dia/noite (circadiano), respeitando o seu corpo que é naturalmente programado para acordar com o Sol e dormir com a Lua. Pode parecer impossível, mas te garanto que colocar-se a favor da ordem da vida é sinônimo de energia, saúde, melhor produtividade e rendimento;

3º Reorganize os seus horários de acordo com a dica anterior, ou seja, comece a levantar mais cedo e a dormir mais cedo também. Ayurveda diz que deveríamos acordar entre 5h30/6h da manhã junto com o calor do sol que nasce e, realmente, temos mais disposição para sair da cama este horário do que após as 7h, por exemplo, e que deveríamos ir dormir até as 22h, quando o metabolismo já praticamente desligou. Temos que estar acordados produzindo durante o DIA e temos que descansar e dormir durante a NOITE, simples assim;

4º Adote o hábito de usar o celular e outros eletrônicos até as 21h, pelo menos. Após isso a sua produção de melatonina começa a ficar prejudicada, afetando a qualidade do seu sono e manutenção de diversos processos do corpo que ocorrem naturalmente enquanto dormimos. Não deixe aparelhos eletrônicos em seu quarto, isso é muito importante, e mantenha-o o mais escuro possível;

Essas dicas seriam a base para o que quero te propor a seguir. Como já disse, essas são algumas informações gerais e básicas para você e, agora, podemos nos desafiar à novos passos. Que tal um pouco de Ayurveda em seu dia a dia?

  1. Ao acordar (5h30) faça algumas respirações profundas ainda na cama e estique-se. Diga ao seu corpo que você acordou. Sente-se na cama, respire conscientemente mais algumas vezes e agradeça por mais um dia que começa. Se possível, abra a janela do seu quarto e arrume a cama antes mesmo de ir para outro local da casa;
  2. Antes de tomar qualquer líquido é importante que você vá ao banheiro, faça suas necessidades básicas, limpe bem a língua com uma colher ou raspador de língua e só após escove os dentes;
  3. Se quiser, medite por 5 minutos e faça alguns alongamentos antes de tomar o seu café da manhã. Lembre que você precisa realmente acordar o seu corpo e energizá-lo antes de comer, caso contrário, como conseguirá uma boa digestão? Dica: se você for uma pessoa quente e acelerada, faça respirações mais profundas e longas seguido de alongamentos tranquilos, mas se você for uma pessoa devagar para acordar e fria faça respirações mais rápidas e alongamentos mais intensos e rápidos também;
  4. Este próximo passo é muito importante, pois você irá observar a sua fome. Conscientemente respirando você irá perceber a sua energia. Está com fome? Ainda se sente cheio do jantar na noite anterior? Você quer doce ou salgado? Quente ou frio? Apenas observe e atenda o pedido do seu corpo, sem imposições, sem rigidez e padrões antigos, ok?
  5. Indico para todos, neste momento, que antes de comer qualquer coisa tome um pouco de água morna c/ ½ limão orgânico espremido e 1 pitadinha de sal. Essa seria uma receita base de um “shot matinal” para preparar o seu organismo para a primeira refeição do seu dia;
  6. Enquanto prepara o seu café da manhã, sinta-se afortunada (o) por poder escolher o que você quer comer neste momento. Esteja completamente presente e consciente. Emane o seu amor e as suas melhores intenções;
  7. Ao sentar-se para comer, primeiro agradeça e abençoe o seu alimento, e diga que você está pronta(o) para recebê-lo em seu corpo. Esteja convicta (0) de que você irá absorver todos os nutrientes;
  8. Coma devagar, consciente, mastigando o melhor que puder. Dica: coma pouco, ficando com a sensação de leveza após comer;
  9. Abra todas as janelas da sua casa e deixe a vida entrar, deixe o sol chegar;
  10. Agora você poderá tranquilamente seguir a sua rotina diária com mais paz, harmonia e consciência!

Sei que é desafiador, mas te garanto que é possível. Tudo pode acontecer quando colocamos prioridade, quando temos intenção, disciplina e quando confiamos no tempo para que as transformações aconteçam. Lembre-se de que você é a pessoa mais importante de sua vida e que você precisa estar bem antes mesmo de cuidar de alguém que ama.

Permita-se viver o novo, permita-se também inspirar as pessoas ao seu redor… Somo verdadeiramente um com o todo!

Desejo que você encontre a felicidade e as causas da felicidade.

 

 

Com amor,

Carol Viesi

 

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação, Bem Estar
02 ago, 2020

SEGUNDA SEM CARNE

Eu fui desafiada pela Sociedade Vegetariana Brasileira à participar do Segunda-feira sem carne… A segunda sem carne surgiu em 2003 nos Estados Unidos e hoje ela está presente em mais de 40 países. No Brasil ela iniciou em 2009  e é onde tem gerado mais impacto. Desde o seu lançamento em nosso país ela tem trabalhado para que as pessoas substituam a proteína animal pelo menos uma vez por semana.

Em São Paulo, desde 2011, as escolas municipais introduziram um cardápio vegetariano que foi bem aceito pelos estudantes. Na rede estadual de ensino a Segunda Sem Carne iniciou em 2017, alcançando a marca de 100 municípios participantes em agosto de 2017. Além da introdução na rede de ensino, os restaurantes populares Bom Prato começaram em 2014 substituir a proteína animal pela vegetal todas as segundas-feiras.

Uma alimentação baseada em vegetais ajuda a prevenir doenças crônicas e degenerativas, além de diminuir a demanda por produtos de origem animal, o que beneficia a saúde das pessoas,  do meio ambiente e dos animais também, já que no Brasil morrem cerca de 10 mil animais por minuto, para alimentação.

 

A Segunda Sem Carne no nosso País é a maior do Mundo,  presente em mais de 100 municípios e em 2019 comemorou 10 anos, os números são expressivos e são resultados dos esforços da SVB, empresas e órgãos públicos. Veja os últimos dados abaixo:

Refeições veganas servidas em 2019 pela Segunda Sem Carne:
Refeições servidas: 81.385.913
Pessoas atendidas: 2.978.549
Instituições atendidas: 6312
Quantidade de carne que deixou de ser consumida: 5.903.886 kg

Refeições veganas servidas para o ensino em 2019 pela Segunda Sem Carne:
Escolas públicas: 6301
Instituições para crianças, adolescentes e idosos: 28

 

Pensando em facilitar esse processo, de substituir as fontes de proteínas animais por vegetais, preparei um PDF com receitas pra um dia inteiro… são receitas com ingedientes simples e bem fáceis de fazer. Pra fazer download do PDF basta clicar no link abaixo:

http://monicabenini.com.br/wp-content/uploads/2020/08/Receitas-1.pdf

Vocês perceberão que, pro almoço, minha indicação foi o nosso amado arroz e feijão, justamente pra frisar que nos alimentos mais triviais já encontramos o aporte nutricional que necessitamos. O feijão comum é um alimento altamente nutritivo, que contém proteína, fibras, carboidratos complexos, vitaminas e micronutrientes.

 

Vou amar a companhia de v0cês nesse desafio e no entendimento de que podemos, com uma simples atitude, impactar positivamente o planeta (e a nossa saúde).

O futuro que desejamos deixar aos nossos filhos também está em nossas mãos. Precisamos desmistificar as fontes de proteína, entender a riqueza que existe no que plantamos nessa terra e entender que a alimentação vegana não é um privilégio para poucos. Em alimentos triviais encontramos o aporte de vitaminas e nutrientes que precisamos.

 

Certa vez assisti uma palestra em que a palestrante dizia: “não se cobre excelência, entenda que a mudança vêm gradativamente. Escolha um ponto da sua vida pra mudar e depois que essa mudança estiver incorporada, vá pra outro ponto. Um passo de cada vez!

Que tal começar pela segunda feira sem carne? 🙂

 

 

 

Até logo!

 

Com carinho, Monica Benini

 

 

Fontes:
https://www.svb.org.br/2456-segunda-sem-carne-do-brasil-e-a-maior-do-mundo

svb.org.br/pages/segundasemcarne/

https://www.svb.org.br/2556-programa-segunda-sem-carne-completa-dez-anos-promovendo-a-saude-e-o-meio-ambiente

 

 

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
19 mar, 2020

FALAFEL COM ORA PRO NOBIS

Estamos vivendo tempos muito intensos, transformadores e loucos… confesso que, por vezes, tenho vontade de me beliscar, pra ver se não acordo de um pesadelo e tudo está como era antes. São tempos difíceis, mas que trazem uma esperança de, quem sabe, o mundo acordar pra novos valores, novos hábitos de consumo, novas formas de encarar a vida… estejamos fortes e otimistas, vibrando numa onda de boas energias e aproveitando o tempo que temos pra fazer, em casa, o que sempre deixamos em segundo plano.

Eu estava há tempos ensaiando voltar a cozinhar mais e, dentre tantas outras coisas, tenho certeza de que esse é um dos benefícios que essa quarentena vai me deixar. Anteontem preparei essa receita, compartilhei no Instagram Stories e prometi dividir ela com vcs… aqui estamos! Eu sou fã de falafel, mesmo! acho maravilhoso como acompanhamento, com tahine, na salada… espero que vc goste tb! Se fizer, depois me conta como ficou! 😉

FALAFEL COM ORA PRO NOBIS

INGREDIENTES

  • 1 ¼ de xícara (chá) de grão-de-bico seco (250 g)
  • ½ cebola
  • ¼ de xícara (chá) de folhas de salsinha (cerca de 8 ramos)
  • 1 dente de alho
  • 1 colher (chá) de cominho em pó
  • 1/2  colher (chá) de pimenta síria
  • 8 folhas de ora pro nobis
  • ¼ de colher (chá) de canela em pó
  • 1 colher (chá) de semente de coentro
  • 1 ½ colher (chá) de sal
  • ½ colher (chá) de bicarbonato de sódio em pó
  • 1 ½ colher (sopa) de farinha de trigo ou de farinha sem glúten
  • noz-moscada ralada na hora a gosto
  • pimenta-do-reino moída na hora a gosto
  • óleo para fritar

 

MODO DE FAZER

  • Numa tigela, coloque os grãos de bico e deixe de molho com água por 24 horas.
  • Escorra bem a água dos grãos de bico e, de preferência, seque-os com uma toalha. Tirar o excesso de umidade ajudará a que eles fiquem firmes na hora de moldar.
  • Descasque a cebola, o dente de alho e lave bem a salsinha
  • Coloque a cebola, o dente de alho e a salsinha no processador. Triture bem. Junte a metade do grão de bico, o sal e as especiarias e bata bem, até formar uma pasta. Na metade do tempo pare de bater, junte tudo com uma espátula e volte a bater.
  • Adicione a outra metade do grão de bico e bata novamente, por um minuto… a idéia é que sobrem alguns pedacinhos.
  • Com a ajuda de uma colher, molde os bolinhos e coloque pra fritar e/ou assar
  • Vc pode fazer frito em uma imersão do óleo de sua preferência, grelhado com um fio de óleo ou no forno (caso vc faça no forno, coloque dentro do forno, na hora de assar, uma vasilha com água. Isso evitará que eles fiquem muito ressecados). Escolha o que mais te agrada. Nessa vez, coloquei um  fio de azeite na frigideira pra dourar os bolinhos, sem fritar mergulhado no óleo. Deixe eles ficarem bem douradinhos.
  • Retire e coloque sob um papel toalha para escorrer.
  • Sirva da forma que vc preferir. (Com molho Tahine fica delicioso)

 

 

SE VOCÊ NÃO CONHECE A ORA PRO NOBIS

 

A Ora Pro Nobis  (rogai por nós – em latim)  faz parte do grupo das plantas alimentícias não convencionais (PANCS) .  Esta planta, antigamente, frequentava a mesa de cidades históricas que foram povoadas pelo ciclo do ouro, no Estado de Minas Gerais. Historicamente, ela foi disseminada por padres que as levavam em suas viagens.

A folhas fornecem minerais como manganês, mangnésio, zinco, ferro, cálcio, vitamina C e fibras. Além disso, ela possui alto teor de proteínas, que varia de 28% a 32% em matéria seca. Também é possível utilizar as outras partes da planta como as flores (comestíveis), fruta (que possui ação antioxidante utilizada em geleias, sucos, licores..) e broto (rico em fibras e que pode ser consumido cru).

Além da alimentação a Ora Pro Nobis é utilizada na medicina, pois auxilia nos processos inflamatórios e também na recuperação da pele em casos de queimaduras. Na indústria farmacêutica é utilizada devido ao seu grande teor de mucilagem.

 

Como cultivar?

– As mudinhas muitas vezes não são comercializadas em centros tradicionais, a opção é procurar em pequenas feiras, viveiros, grupos que produzem PANCS…

– De preferência planta em vasos grandes, ela é uma trepadeira e necessita de espaço para crescer.

-Ela necessita e gosta de bastante luz solar, deixe perto de janelas ou em varandas. Água não deve ser abundante, mas também não deixe a terra encharcada

– Podas devem ser feitas em média a cada dois meses se o intuito é não deixar ela crescer muito.

Fontes:
Revista Saúde
<https://saude.abril.com.br/alimentacao/beneficios-ora-pro-nobis/>

Embrapa
<file:///C:/Users/Junior/Downloads/f-ora-pro-nobis.pdf>

<https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/169328/1/Pereskia-aculeata-Ora-pro-nobis-p-280-289-in-Plantas-para-o-futuro.pdf>

 

Até breve!

 

Beijos, Monica

 

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
17 mar, 2020

PROTEÍNA VEGETAL

A questão das fontes de proteína é, talvez, a maior dúvida quando falamos em dietas vegetarianas. Já recebi uma infinidade de perguntas a esse respeito e, por esse motivo, resolvi chamar a Carol Viesi, nossa nutricionista colaboradora, pra falar a respeito com toda a propriedade que cabe aos nutricionistas:

 

“Antes de começar a falar sobre esse tema, que é até polêmico, gostaria de dizer à vocês que eu costumo abordar a nutrição através de um outro olhar, outra consciência alimentar. Acredito que, principalmente nos dias de hoje, ninguém precisa se rotular. “Sou vegetariano”, “sou vegana”, “não como carne vermelha e nem branca, mas ainda gosto de peixe, então, o que eu sou?”… Seja o que o seu corpo pedir, a cada dia. É claro, que optar por uma alimentação 100% vegetariana tem seus milhares de benefícios à saúde, comprovadamente. Falar sobre proteína de origem vegetal é um tema que gosto muito, já que é a preocupação da maioria das pessoas quando querem tornar-se vegetariano. Acho bacana, então, explicar um pouco à vocês sobre as funções das proteínas em nosso corpo!

 

Proteínas e suas funções

 

As proteínas são formadas por combinações de aminoácidos e os alimentos de origem animal concentram todos os aminoácidos essenciais (são aqueles que nosso corpo não fabrica e temos como fonte os alimentos), enquanto nem todos os alimentos de origem vegetal possuem todos esses aminoácidos na quantidade adequada, porém, com uma alimentação balanceada, diversificada, combinando os alimentos em geral, nós garantimos ao corpo o consumo de TODOS os aminoácidos.  

Algumas funções:

– Construção de novos tecidos do corpo humano; são responsáveis por dar resistência e elasticidade aos tecidos.

– Atuam no transporte de substâncias como, por exemplo, o oxigênio. 

– Atuam no sistema de defesa do organismo, neutralizando e combatendo vírus, bactérias e outros elementos estranhos

– Agem como catalizadoras de reações químicas que ocorrem no organismo dos seres humanos.

– Atuam na regulação de hormônios. 

– As proteínas encontradas na membrana plasmática atuam como receptoras, emitindo sinais para que a célula possa desempenhar suas funções vitais.

Ou seja, atuam em praticamente todos os processos biológicos do nosso corpo!

 

De acordo com Dr Eric Slywitch, médico, coordenador do departamento científico da Sociedade Vegetariana Brasileira,não existe nenhum aminoácido necessário ao organismo humano que não seja encontrado nos alimentos do reino vegetal. Dizer que o a proteína vegetal é incompleta também é um erro. Alguns grupos alimentares, como cereais (arroz) e leguminosas (feijões) apresentam o que chamamos de aminoácido limitante. É um aminoácido em quantidade um pouco menor do que os outros. No entanto, existem todos os aminoácidos essenciais em cada um desses grupos.”

 

Olha só o que diz o Guia Alimentar de Dietas Vegetarianas para Adultos, “As dietas vegetarianas trazem resultados benéficos na prevenção e no tratamento de diversas doenças crônico-degenerativas não transmissíveis. Não há estudos demonstrando aumento de doenças em grupos vegetarianos. Populações vegetarianas têm risco reduzido de cardiopatias, câncer, diabetes, obesidade, doenças da vesícula biliar e hipertensão. Estudos demonstram que as populações vegetarianas têm 31% a menos de cardiopatias, 50% a menos de diabetes, vários cânceres a menos, sendo 88% a menos de câncer de intestino grosso e 54% a menos de câncer de próstata”.

 

Gosto de lembrar que muitos sintomas relatados por pacientes não são casos de deficiência de proteína como muitos pensam (quase rara), e sim outras disfunções como, por exemplo, a disbiose intestinal que modifica a permeabilidade, afetando a absorção adequada dos nutrientes, gerando carências, fraqueza, baixa imunidade, entre outros, fato que ocorre em qualquer pessoa, vegetariana ou não!

 

Quais são as melhores fontes de proteína vegetal?

 

1- Chia: semente super versátil, pode ser consumida com frutas, batidas em shakes, cozidas com o arroz ou mesmo polvilhadas por cima da salada. É também uma importante fonte de ômega-3.

2- Quinoa: pode ser consumida em flocos, com frutas ou batida com shakes e sucos, em grãos, cozida e substituindo o arroz ou mesmo na forma de farinha, complementando receitas de bolos e tortas.

3- Grão de bico: muito versátil, pode ser consumido na salada, substituindo o feijão ou mesmo em pastas, como o hommus.

4- Gergelim: pode ser consumida na forma de pasta, conhecida como tahine, ou torrada e polvilhada em frutas, saladas, massas e outras preparações. Outro ponto positivo é seu grande aporte de cálcio.

5- Feijão: compondo saladas ou consumido com arroz, todas suas variações e tipos são importantes fontes de proteínas vegetais, seja o carioca, preto, branco ou azuki. Também é fonte de ferro.

6- Edamame: muitos não conhecem, mas é a soja verde. Encontrada congelada na vagem ou em grãos, basta cozinhar por cerca de 3 minutos e consumir puro, na salada ou mesmo em forma de pastas.

7- Amaranto: pode ser encontrado em flocos, para ser consumido como um cereal com frutas e shakes, e também em grãos, que podem ser cozidos como arroz ou mesmo estourados como pipoca! É também fonte de fibras.

8- Oleaginosas: são as castanhas, nozes, amêndoas e etc. Dentre elas, a composição varia, mas todas são importantes fontes de proteínas vegetais e gorduras saudáveis.

9- Soja: a mais conhecida fonte de proteínas vegetais é também uma das mais completas. Pode ser encontrada em grãos, em forma de farinha, texturizada ou também como tofu. Muito versátil! (Aqui em casa só consumimos tofu orgânico)

10- Spirulina: é uma espécie de alga rica em proteínas e ômegas. Pode ser encontrada na forma de cápsulas ou em pó, para ser batida com sucos e vitaminas.

 

Vale lembrar que estamos aqui para compartilhar informações do bem e dar algumas dicas pra vocês. Cada pessoa tem a sua individualidade bioquímica e suas respectivas necessidades nutricionais. Existem vários atletas veganos que mantém ótimos desempenhos em suas modalidades, e garantem estarem mais saudáveis do que nunca 😉

 

Como nutricionista, tenho que compartilhar por aqui que, para qualquer pessoa, alimentar-se de forma diversificada é a única maneira de conseguir todos os nutrientes necessários para se ter saúde e energia vital.

 

É muito além de simplesmente não consumir carne. É como você passa a se cuidar e como você se relaciona com o mundo… Desperte-se!

 

Com carinho,

Carol

 

Leitura de apoio:

 

Guia Alimentar de Dietas Vegetarianas para Adultos

Livro “Alimentação sem carne”, de Dr Eric S Slywitch

Matéria sobre sustentabilidade, com Alessandra Luglio”

 

 

 

Espero que tenha esclarecido as dúvidas de vocês… qualquer outra dúvida adicional, por favor deixe aqui nos comentários que procuraremos responder.

 

 

Com amor, Monica

 

 

 

 

 

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
19 ago, 2018

CHAI LATTE

 

Que eu sou amante assumida de um bom chá não é novidade. O assunto, inlcusive, já apareceu outra vez aqui no site. Dessa vez, resolvi voltar pra falar de uma receita que tem um lugar cativo no meu coração, o Chai Latte. 

O Chai  (ou masala chai) tem sua origem pouco conhecida, dizem que se originou na Tailândia, na Índia, no Nepal ou no Paquistão, há cerca de 5 à 10 mil anos atrás. A mistura de ervas agradou aos nobres que trataram de espalhar para toda a nobreza. Antigamente era comum servi-lo como remédio para alguns males.

Em 1835 com a colonização inglesa, as pessoas começaram a adicionar leite ou algum tipo de açúcar para adoçar a bebida, talvez influenciados pelos ingleses, ou também, pelo fato da vaca ser sagrada na índia e o consumo de seus derivados serem elevados. Na mesma época o chá preto foi adicionado a receita devido às plantações que os ingleses desenvolveram na Índia.

Hoje em dia o Chai faz parte da cultura do povo indiano que costuma servi-lo para visitas, para o chá da tarde ou para acompanhar pratos típicos nas refeições. Ao redor do mundo o “Masala Chai” virou o “Chai Latte” e seu consumo traz diversos benefícios à saúde, entre eles:

 

 

  1. Aumenta a vitalidade

As propriedades do Chai são estimulantes e naturais devido à teína no chá preto, que vai liberando substâncias energéticas ao longo da digestão de forma saudável. É ideal para iniciar o dia e se manter ativo durante toda a jornada cotidiana.

  1. Previne resfriados

Os antioxidantes do chá e das especiarias melhoram as nossas respostas imunológicas. O gengibre, em especial, também é eficaz ao aliviar sintomas se já estamos resfriados, funcionando como anti-febril e expulsando secreções como catarros.

  1. Estimula o metabolismo

A canela e o cardamomo ativam o metabolismo e seu consumo regular estimula as enzimas pancreáticas, melhorando o desenvolvimento das gorduras ao longo da digestão. Assim, o Chai pode ser tanto uma bebida para degustar durante a tarde como pode ser a base de um café da manhã energizante.

  1. Cuida da saúde cardiovascular

A bebida é rica em polifenóis, que regulam os níveis de gorduras no sangue e impedem a adesão das mesmas nas artérias.

  1. Reduz a sensação de inchaço

Ao potencializar as atividades do estômago, as substâncias que compõem o Chai acabam impulsionando a digestão de forma natural e saudável.

Fonte: https://www.teashop.com.br/os-beneficios-do-chai

 

INGREDIENTES:

3 unidades de cardamomo

2 unidades de canela em pau

5 unidades de cravo da índia

4 unidades de grãos de pimenta do reino

1 e 1/2 xícara (de chá) de água filtrada

1 colher (de chá) de gengibre ralado

2 colheres de sopa de chá preto

1 e 1/2 xícara (de chá) de leite vegetal

Açúcar mascavo ou açúcar de coco

 

MODO DE FAZER:

Em um recipiente, coloque a canela, o cardamomo, o cravo, a pimenta e o gengibre (Dica: se você amassá-los, eles liberarão mais sabor), junte a água filtrada e deixe em fogo médio. Quando estiver prestes a ferver, desligue o fogo, adicione o chá preto e deixe descansar por 6 minutos (infusão). Em outro recipiente, aqueça o leite vegetal de sua preferência até ele quase ferver (se quiser, emulsione o leite com a ajuda de um mixer pra ele fazer espuma). Coe o chá com a ajuda de uma peneira. Misture os dois e adoce ao seu gosto. Polvilhe um pouco de canela em pó por cima e sirva.

  • Você pode usar o leite vegetal que preferir. Amendoim, castanha, avelâ, amêndoa, coco, castanha de caju. Eu costumo usar leite de castanha de caju ou de amêndoa, porque são meus favoritos.
  • Não é necessário que você use todas as especiarias que eu indiquei. Fique à vontade pra tirar ou acrescentar coisas, de acordo com a sua preferência.
  • O chá pode ser guardado pronto, sem o leite, por até uma semana. Aí é só adicionar o leite quente e servir.

 

 

 

O chai é dessas receitas que têm o aconchego de uma tarde fria ao lado de uma lareira, sabe? Eu AMO e espero que vocês gostem também! Me contem depois, tá?

 

Nos vemos em breve!

 

 

Com amor, Monica

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
09 ago, 2018

BIOMASSA DE BANANA VERDE

Talvez a maioria por aqui já tenha ouvido falar, ou até já provaram, mas não sabem ao certo pra que serve e quando utilizar. Esse foi um tema sugerido para a nossa próxima matéria por aqui, após a Mônica ter compartilhado algumas dicas sobre a introdução alimentar do Otto.

Eu, particularmente, acho a biomassa de banana verde um “santo remédio”, muito versátil, fácil de encontrar e preparar, além de ser uma alternativa barata!

 

 

 

 

A banana verde é considerada um alimento funcional devido aos seus inúmeros benefícios, que vão além de suas funções nutricionais básicas. Quando cozida, ainda verde, apresenta alto conteúdo de amido resistente, que possui efeito similar ao da fibra alimentar por não ser digerido e absorvido no intestino delgado, sendo fermentado somente no intestino grosso. Isso favorece a proliferação de bactérias benéficas para o nosso intestino, além de manter a integridade da mucosa intestinal responsável pela absorção adequada dos nutrientes e pela barreira da entrada de substâncias maléficas.

No caso dos bebês, o cuidado com a introdução alimentar é muito importante, já que a flora intestinal esta se “moldando”, e o uso da biomassa é muito interessante para auxiliar nesse processo!

 

Olha só tudo o que ela pode fazer por sua saúde:

  • Auxilio no trânsito intestinal;
  • Prevenir quadros de diarreia e constipação;
  • Prevenir desenvolvimento de doenças como câncer de intestino;
  • Gera saciedade.

 

Mais propriedades:

 

  • Contém baixo IG (índice glicêmico), ou seja, sua digestão e absorção são mais lentas. Com isso, a quantidade de glicose liberada no sangue ocorre gradativamente, mantendo os níveis no sangue controlados, sem a necessidade de liberação excessiva de insulina para que esta glicose entre na célula, contribuindo então para a prevenção do desenvolvimento de diabetes;
  • Possui concentrações consideráveis de potássio, fibras, sais minerais, vitamina B (B1 e B6), ?caroteno (pró-vitamina A) e vitamina C.

 

A biomassa cozida é muito utilizada no preparo de bolos, biscoitos, pães e outras massas, sucos e vitaminas, além de ser excelente ingrediente para engrossar preparações, dar liga e muito mais. Conseguimos adicioná-la em tudo, praticamente, pois não possui gosto de banana. Pode parecer brincadeira, mas a biomassa de banana verde não têm sabor! Para os pais leitores, vale saber que não tem contra indicação, apenas respeite o período correto de introdução alimentar e consulte o seu nutricionista para te ajudar.

 

 

Como preparar a biomassa

 

Para o preparo da biomassa é essencial que o cacho da banana seja bem verde, recém colhido. Hoje em dia encontramos facilmente em feiras de rua orgânicas, por exemplo.

Antes de iniciar, é importante que você corte as bananas bem próximas ao “talo”, para que não abram durante o cozimento. Escolha a quantidade de bananas que caiba dentro da sua panela de pressão. Vamos lá:

  1. Lave as bananas verdes com casca, uma a uma, utilizando esponja e enxágue bem;
  2. Em uma panela de pressão acomode as bananas, despeje água fervente (para criar choque térmico) até cobri-las completamente, feche a panela, ligue o fogo e deixe cozinhar (com casca);
  3. Quando atingir a pressão, abaixe o fogo e deixe ferver por oito minutos. Depois desligue o fogo e deixe que a pressão saia naturalmente, continuando a cozinhar as bananas.
  4. Ao término do cozimento, mantenha as bananas na água quente da panela; vá aos poucos tirando a casca da polpa;
  5. Coloque a quantidade desejada da polpa cozida quentíssima no processador, ou liquidificador, e processe até obter uma pasta bem espessa;
  6. Coloque a polpa em forminhas de gelo e leve ao freezer. Após congelar, retire da forma e guarde os cubinhos em um saco. Essa polpa pode ser guardada por 3 a 4 meses no congelador. Utilize um cubo por dia, por pessoa =)

 

 

Creme de cenoura, gengibre e biomassa

 

Ingredientes

2 colheres de sopa de azeite

1 cebola média picada e 4 dentes de alho picados (ou use apenas por temperos secos e especiarias)

1 colher de chá de gengibre picado ou ralado

900 g de cenouras descascadas e fatiadas

Água para cozinhar

Salsa fresca (opcional)

Sal e pimenta a gosto

Temperos secos e especiarias à gosto

4 cubos de biomassa de banana verde (descongelados)

 

Modo de preparo

Em uma panela grande, aqueça o azeite e refogue a cebola até ficar transparente. Adicione o alho e o gengibre e refogue por 2 minutos. Adicione a cenoura e a água deixe ferver. Reduza para fogo baixo e tampe. Cozinhe de 10 a 15 minutos, mexendo a cada 5 minutos. Se precisar, adicione um pouco de sal e pimenta do reino a gosto. Continue a cozinhar até que as cenouras fiquem macias, perfure com o garfo para ver o ponto certo. Despeje as cenouras, os cubos de biomassa, temperos secos e água no liquidificador, bata até que vire um creme homogêneo. Dose a água de acordo com a consistência desejada. Decore com a salsa e sirva em seguida.

 

Gostaram?

Compartilhe com a gente as suas experiências por aqui!

 

Carol

 

 

 

Aproveitando o post da Carol, vou adicionar aqui uma receitinha que eu preparo pro Otto, porque sei que vocês adoram esse assunto 🙂

 

 

Bolinho de Grão de Bico com Abóbora

 

Ingredientes:

1/2 xícara de rúcula

4 colheres (sopa) de grão de bico bem cozido

4 colheres (sopa) de abóbora cozida

2 colheres (sopa) de biomassa de banana verde

2 colheres (sopa) de farinha de arroz integral

1 colher (sopa) de azeite ou óleo de coco

 

Modo de Preparo: Cozinhe a rúcula no vapor até murchar e pique bem. Reserve. Amasse o grão de bico junto com a abóbora. Adicione a biomassa de banana verde, a farinha e o azeite/óleo de coco. Misture bem e modele pequenos croquetes. Leve ao forno pré aquecido até que fique sequinho por fora.

 

 

Até logo!

 

Com amor, Mônica.

 

 

 

 

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação, Maternidade
21 jun, 2018

ALIMENTAÇÃO VEGETARIANA NA GRAVIDEZ

Quem me acompanha por aqui desde os tempos antigos, já deve estar familiarizado com a Carol Viesi, nossa nutri querida que é colaboradora aqui do site. Fazia algum tempo que ela não aparecia por aqui, mas resolvi chamá-la e reavivar essa nossa parceria deliciosa, pra falar sobre um dos assuntos que recebi como sugestão de pauta de vocês. Eu sou vegetariana a muitos anos e durante a minha gravidez isso não foi diferente. Percebo que esse assunto é um pouco polêmico pra alguns, então pensei que uma especialista poderia nos informar de forma mais completa e com muito mais propriedade sobre esse assunto. Seguem as palavras da Carol:

 

“Que alegria estar de volta por aqui. Ainda mais começando com um assunto tão especial para a Mônica, nessa fase tão linda de sua vida! Gestação, amamentação, introdução alimentar… Quanta coisa boa pra ser compartilhada por aqui. E quando o assunto é “sou mãe vegetariana” muitas dúvidas surgem por aí, não é? Vamos lá!

Quando a mulher descobre que está grávida, um turbilhão de emoções se espalham por todo o corpo. Dentre as infinitas preocupações, tão importante quanto fazer os devidos acompanhamentos médicos, está a alimentação! Para gerar uma vida toda mulher entra em processo máximo de funcionamento do seu metabolismo. Seus hormônios estão a todo vapor, todos os órgãos ficam hiperativados para dar conta não só das necessidades do corpo da mulher, mas para conseguir dar atenção ao novo ser que começa a se desenvolver.

 

Fotos: Pinterest

 

Sempre digo, pois precisamos lembrar as pessoas disso, que para todos os tipos de escolhas alimentares é muito importante entender que a gestação requer cuidados especiais com a alimentação, mas nada de extraordinário pra quem já vive e busca o equilíbrio nesse sentido. A gestante vegetariana, quando bem orientada, pode ter inúmeras vantagens, incluindo o desenvolvimento do seu bebê.

Compartilhando aqui um pouco de informação científica, a American Dietetic Association e a Academy of Nutrition and Dietetics, ambas dos Estados Unidos, publicaram recentemente um artigo, no Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics, no qual aprovam as dietas vegetarianas e veganas, incluindo durante gravidez e amamentação. “Dietas vegetarianas e veganas são saudáveis, nutricionalmente adequadas e podem fornecer benefícios na prevenção e no tratamento de certas doenças. A Academy of Nutrition and Dietetics ainda faz referência a estudos cujos resultados registraram que as voluntárias grávidas e vegetarianas tinham menor sobrepeso ao fim do primeiro trimestre de gravidez e menores complicações, como diabete gestacional.

Nesse período especial, a atenção com os micronutrientes deve ser redobrada, para qualquer mulher. As vitaminas e minerais por serem abundantes nos alimentos de origem vegetal (legumes, verduras, frutas, oleaginosas, leguminosas, etc), base da alimentação vegetariana, quando consumidos harmonicamente e de forma variada são devidamente supridos. Com exceção à vitamina B12 (cobalamina), principalmente para as veganas ou vegetarianas estritas (saiba mais clicando aqui), que deve ser suplementada com orientação!

| As vitaminas e os minerais são essenciais para o desenvolvimento e funcionamento do cérebro e sistema nervoso do bebê, e por não agirem sozinhas dependendo uma das outras, uma dose inadequada de vitaminas isoladas, por exemplo, pode não ter o resultado esperado. |

Acredito que sempre devemos buscar atingir as nossas necessidades através da alimentação, como primeira opção, mas quero deixar claro aqui que é muito natural e necessário um suporte extra com suplementações multivitamínicas e minerais, vitamina D, ômegas, ácido fólico e outros. Isso porque alguns micronutrientes, em especial, são extremamente requisitados para a formação do bebê, sendo que não podemos esquecer que a mamãe também deve permanecer em equilíbrio nutricional, certo?

De maneira geral, as mesmas “regrinhas” funcionam para todas as gestantes: redução de cafeína, álcool e alguns tipos de condimentos; cuidados com alguns tipos de chás (podem ser abortivos); controlar carboidratos simples; evitar e/ou comer fora de casa em lugares confiáveis; preferir alimentos orgânicos, ou seja, sem agrotóxicos; evitar e/ou excluir alimentos industrializados, etc. Abuse do que a natureza oferece em cada estação, deixando o prato sempre colorido, mastigando tranquilamente. Fique atenta aos vegetais verdes escuros, pois são boas fontes de ferro, ácido fólico e cálcio. Lembrando que, a mamãe não deve comer por dois, isso é mito! (risos)

| Dica: consuma diariamente gergelim. Rico em minerais como o manganês, ferro, cobre, fósforo e cálcio (muito mais do que o leite e de ótima biodisponibilidade), além das vitaminas do complexo B e E. Sugestão, consumir 1 colher se sobremesa em forma de tahine natural. |

 

 

Gosto sempre de explicar também que se a gravidez for planejada o casal deve preparar-se para isso mudando a sua rotina alimentar também, equilibrando da melhor maneira possível o seu corpo que é tão sagrado. Quanto melhor estiverem, mais fácil e menos riscos!

Com a Mô esse processo foi muito simples, pois como mencionei, ela já tinha em sua rotina esses cuidados especiais com a alimentação, então, só cuidou dos micronutrientes essenciais, alguns ajustes no planejamento alimentar e poucas suplementações.

Pra finalizar gostaria de dizer a todas as mamães, ou futuras mamães, que o mais importante além de tudo isso é a sua consciência! Quero dizer que acredito que você queira o melhor para os seus filhos, não é mesmo? E isso inclui a maneira como você irá se nutrir durante a gestação, como cuidará de seu corpo como um todo! Viva o que você acredita, escolha sem rótulos o que você acha correto para esse período, pois isso só diz respeito à você e seu bebê. Lembrando também que é muito importante buscar ajuda de um nutricionista para te ajudar com essas mudanças. É muito gratificante!

Espero que gostem,

Carol.”

 

 

Referências:

De bem com a natureza, de Conceição Trucom. Editora Alaúde.

http://emais.estadao.com.br/noticias/bem-estar,fim-do-mito-vegetarianismo-ou-veganismo-na-gravidez-fazem-bem-para-mae-e-bebe,70001652095

 

Feliz por te ter de volta por aqui, Carol! Espero que vocês, meus leitores queridos, gostem!

 

Vejo vocês em breve.

 

Com amor, Monica

 

 

 

 

**Sou Carolina F. Viesi, nutricionista, pós graduada em Fitoterapia Funcional, especialista em Nutrição e Alimentação Ayurveda e Personal Diet.
Vegetariana, apaixonada pela culinária intuitiva e por outros caminhos descobertos que enriquecem a minha profissão. Acredito em tudo o que é natural e que me traga de volta a essência.

@carolviesi
nutricarolviesi@gmail.com
Nutrição holística | Culinária intuitiva | Terapias complementares

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
31 out, 2017

ACEITA UMA XÍCARA DE CHÁ?

 

Quem me acompanha há mais tempo por aqui, ou pelas minhas outras redes, sabe que eu não resisto a uma boa xícara de chá. Na minha família, curiosamente, o chá sempre teve mais relevância do que o café. Desde as receitas pros mais diversos males, que passaram de geração em geração, até tomar o chá por simples prazer.

 

Não sei se o fato de descender de uma família gaúcha teve influência nisso, pode ser que sim… afinal, nosso tão amado chimarrão não é nada mais do que uma infusão. Não vou negar que uma xícara de um bom café tem seu valor – e eu amo! – mas meu coração bate mais forte mesmo é por uma xícara de chá. Diria que o chá tem lugar cativo na lista de coisas com o poder de acariciar meu coração. Para mim, o chá faz companhia.

 

 

É fato que, com o passar dos anos, vamos “gourmetizando”nossa vida, buscando novos sabores e valorizando os rituais. Isso aconteceu comigo, e fui, cada vez mais, ao encontro do rico universo dos chás. Ao viajar, passei a reservar um espaço na mala para eles. Sempre trago alguma infusão diferente de uma casa de chás que descubro ao longo das minhas andanças, uma caixinha de chás de uma marca que eu goste ou alguma nova para provar. Passei a ficar mais atenta às casas de chás nacionais… para minha alegria, descobri algumas preciosidades.

 

Mas não se trata de apenas achar bons chás para comprar. A arte de fazer sua própria infusão é algo que eu aprecio muito também… colher as ervas, fazer as misturas… criar combinações diferentes é maravilhoso. A cada xícara, uma nova descoberta. Se você tiver o privilégio de colher as próprias ervas, numa horta, num vaso, no parque, melhor ainda.

 

Dia desses, ao compartilhar uma foto de um chá no Instagram, tive a ideia de perguntar sobre os chás/infusões que vocês mais gostavam de fazer… Os comentários foram tão ricos que me inspiraram a fazer esse post e dividir as receitinhas de vocês aqui. Obrigada, de coração, por sempre embarcarem na minha e por dividirem pra somar. Seguem as receitinhas inspiradas de vcs:

  • maçã com canela
  • abacaxi com hortelã
  • salsa com limão
  • gengibre, abacaxi e limão
  • hibisco, abacaxi e cravo
  • capim-limão com gengibre
  • abacaxi com laranja
  • hibisco, morango e rosas
  • hibisco, gengibre e limão
  • capim-limão com casca de laranja
  • maracujá com canela (fazer o chá de canela e, com a água ainda bem quente, acrescentar a polpa do maracujá bem maduro)
  • maracujá com especiarias: cravo, canela, anis-estrelado, gengibre
  • erva-cidreira, hortelã, erva-doce, casca de maçã, gengibre e mel
  • camomila, calêndula, alfazema, canela e cacau nibs
  • casca de laranja, casca de abacaxi, canela em pau, anis-estrelado e pimenta rosa
  • casca de laranja (refogar no açúcar queimado, depois acrescentar água), folhas de limão, suco da laranja, anis-estrelado e camomila
  • maracujá, maçã e cravo
  • hortelã, alecrim, capim-limão, anis-estrelado
  • alecrim, capim-santo e canela
  • camomila com baunilha e mel
  • camomila, laranja, limão-cravo, maçã e canela em pau
  • capim-santo com um toque de leite de coco
  • gengibre, cardamomo, anis-estrelado, canela, cravo

 

 

CURIOSIDADE: Vocês sabiam que originalmente o nome “chá” é dado somente à infusão feita com uma única espécie de planta, a Camellia Sinensis? Suas folhas podem ser cruas, torradas, fermentadas, vaporizadas, fazendo com que o chá possua algumas variações:

  • Chá Preto: Folhas de Camellia Sinensis fermentadas e torradas
  • Chá Verde: Folhas cruas secas
  • Chá Oolong: Folhas pouco fermentadas
  • Chá Branco: Folhas vaporizadas e secas ao sol

Portanto, todos os outros preparos, que não possuem Camellia Sinenses na composição, teoricamente deveriam ser chamados de infusão.

 

E você? Compartilha do mesmo prazer que eu? Conta aqui nos comentários sobre seus chás/infusões favoritos, e se postar alguma foto no Instagram, me marque por lá?! Será um prazer dividir, mais uma vez, esse universo com vocês.

 

Beijos, com carinho… até breve!

 

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
23 jun, 2016

Hora de recolher!

96730261cf83b9a91bf0d71893d37666

Sabia que a cada estação o corpo pede determinados tipos de alimentos e que a mãe natureza nos oferece exatamente o que precisamos? Já pensou nisso? Entramos no inverno. Nosso corpo concentra sua força para conseguir manter-se quente, em equilíbrio.

 É a fase de energia associada ao Inverno, quando prevalece a força Yin. O Inverno é o tempo do descanso, da quietude, quando a energia é poupada, recolhida, condensada, conservada e armazenada. O inverno é a estação em que a natureza hiberna e conserva a sua energia, cultivando os recursos que irão florescer na primavera.

Pela Medicina Tradicional Chinesa, que admiro muito, o inverno é a estação da quietude, repleto de dias curtos e noites longas, sendo a própria natureza nos informando sobre a postura correta que devemos ter nesse período. É a estação do elemento água, e está relacionado com os rins e bexiga e também com a força vital que flui. O sabor correspondente é o salgado e a cor é o branco.

Observando o nosso corpo e nossas vontades, sabemos que agora preferimos nos alimentar com preparos quentes, de fácil digestão, picantes e com muitos temperos. Então, vamos seguir esse raciocínio?

Agora é a hora de comer tudo cozido, assado, bem quentinho para aquecer o corpo e o seu coração. Que tal um delicioso mingau de aveia em seu café da manhã? E um creme de cabotiá, cenoura e gengibre para o jantar? Use e abuse da canela, cravo, gengibre, pimenta preta, cardamomo, curry, massalas quentes… O inverno tem o seu charme, mas também o seu sabor!

Outra dica. Frutas? Só se for cozida ou assada!

Mingau de banana c/ pasta de castanhas

savory simple

Leve ao fogo baixo: 1 copo de leite vegetal, 2 colheres sopa de aveia em flocos finos ou farinha de aveia, 1 colhere sopa de amaranto em flocos, cacau e canela a gosto, mel e mexa sem parar. Deixe engrossar um pouco. Despeje em uma tigela e coloque granola, rodelas de banana e uma colherada de pasta de castanhas de sua preferência. <3

Creme de cabotiá, cenoura e gengibre

0b458e981a238a00085b0739eab42fa1

Ingredientes:

  •  ½ cabotiá c/ a casca e sem sementes
  • 3 cenouras s/ casca
  • 2 rodelas médias de gengibre ralado fresco
  • ½ pedaço de tofú firme
  • Sal
  • Azeite
  • Cheiro verde

Preparo: Leve na panela de pressão a cabotiá (não precisa cortar) e a cenoura c/ o sal e o azeite, colocando água até cobrir bem. Deixe cozinhando por uns 15 a 20 minutos, após pressão.  Desligue o fogo, cuidadosamente retire a pressão e abra a tampa. Agora, bata com um mixer direto na panela, ou passa para um liquidificador, com a própria água do cozimento. Acrescente o gengibre, o tofu e o cheiro verde. Se necessário, acrescente um pouco mais de água. Por último, corrija o sal.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
25 abr, 2016

Vamos cozinhar? Por Carol Viesi

Dando sequência, e cumprindo com o prometido, selecionei algumas receitas fáceis, nutritivas e vegetarianas pra vocês. Espero que gostem!

Tortinha de tofú cremoso e shitake

tofu shitake

Ingredientes:

  • 3 colheres de sopa rasa de farinha de arroz
  • 2 colheres de sopa rasa de quinoa em flocos (ou aveia em flocos finos)
  • 1 colher de sobremesa de azeite (ou óleo de coco)
  • 3 colheres de sopa de água (ou o suficiente para unir os ingredientes)
  • Pitada de sal rosa
  • Cúrcuma a gosto
  • Zattar a gosto (ou outro mix de especiarias)
  • Gergelim a gosto
  • Cogumelos shitake temperados e refogados a gosto

Modo de Preparo:

Misture muito bem com um garfo todos os ingredientes. Coloque a massinha em uma forma pequena de quiches ou tortas e leve ao forno por 10 min. Enquanto isso, bata bem (também com um garfo) 1 fatia grossa de tofu, 1 colher de sopa de pasta de castanha e sal. Para os cogumelos, basta refogar c/ temperos que goste. Após retirar a massinha do forno, coloque por cima o creme de tofú, os cogumelos e enfeite c/ ervas frescas. Pode ser acompanhada por uma salada!

Cookies macios

fonte: acozinhadaovelhanegra.com

fonte: acozinhadaovelhanegra.com

Ingredientes:

  • 1/2 xícara de chá de aveia em flocos
  • 1/2 xícara de coco ralado
  • Um pouco menos de 1/4 xícara de melado de cana
  • 3 colheres de sopa não muito cheia de cacau em pó
  • 2 colheres de sopa de cacau nibs
  • 2 colheres sobremesa de manteiga de coco (ou manteiga ghee, ou óleo de coco)
  • 1 ovo orgânico

Modo de Preparo:

Junte todo o seu amor e energias boas com os ingredientes à cima e misture com as pontas dos seus dedos. Pré aqueça o forno e coloque papel manteiga em uma assadeira. Com as mãos, faça formatos que bolas achatadas, deixando-as mais grossas. Leve ao forno por 15 minutos apenas. Eles ficam macios, e essa é a graça! Você não vai conseguir esperar esfriar, te garanto.

Ótima opção de lanchinhos para adultos e crianças! Um concentrado de fibras, vitaminas e minerais, gordura boa, antioxidantes…

Hambúrguer de quinoa

fonte: www.receitasanamaria.net

fonte: www.receitasanamaria.net

Ingredientes:

  • 3 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • 1 e ½ xícara (chá) de cebola roxa picada
  • 1 xícara (chá) de alho-poró finamente picado
  • 1 xícara (chá) de Quinua Orgânica em Grãos cozida (conforme preparo básico da embalagem, a partir de ¾ xícara (chá) de quinua crua)
  • 2 xícaras (chá) de cenoura ralada
  • 1 xícara (chá) de couve-flor picada
  • ½ xícara (chá) de tofu firme
  • ½ xícara (chá) de salsinha picada
  • 1 colher (sopa) de shoyu natural ou missô
  • ½ xícara (chá) de cebolinha picada
  • ¼ de xícara (chá) de Farinha de Linhaça Integral
  • ¼ de xícara (chá) de Gergelim Integral

 Modo de Preparo:

Coloque o azeite em uma frigideira grande e salteie a cebola roxa com o alho-poró por 10 minutos em fogo médio, mexendo constantemente ou até a cebola ficar transparente. Desligue o fogo e adicione os demais ingredientes aos poucos (exceto a linhaça e o gergelim). Amasse com as mãos, até formar uma massa homogênea e firme. Molde os hambúrgueres com aproximadamente 10 cm de diâmetro e 1,5 cm de altura. Para empaná-los, primeiramente coloque a linhaça e o gergelim e em um prato raso, passe os hambúrgueres, um a um, nesta mistura e disponha-os em uma assadeira. Leve-os para assar em forno médio preaquecido (180ºC) por 20 minutos.

Espero que tenham gostado! Façam e compartilhem com a gente <3

 

FacebookGoogle+Pinterest