Categorias de navegação

Opinião

em Opinião
31 out, 2018

COMO DAR INÍCIO À UMA ORGANIZAÇÃO EM 5 PASSOS

Sem querer parecer mística demais rs, minha Lua em Virgem faz com que uma das coisas que eu prezo nessa vida seja uma casa organizada. É claro que esse senso de organização foi evoluindo com o passar dos anos e fui somando à minha bagagem dicas de pessoas muito mais experientes que eu… E isso foi decisivo na formação de um pensamento muito mais prático, o que facilita muito a vida quando a idéia é manter as coisas/a vida em ordem. Pensando nisso, resolvi dividir algumas coisas que aprendi e que me ajudam muito e convidei uma profissional, a Érica, da Loft Organizer, pra nos explicar melhor:

 

 

“Hoje em dia não há quem não busque por momentos de relaxamento, conforto, produtividade e felicidade, não é mesmo? Você consegue se sentir assim na sua casa? Se sua resposta for não, saiba que a organização do seu lar afeta diretamente no seu humor, bem-estar, saúde, felicidade e até conta bancária.

Bagunça não é saudável!! Pode afetar suas emoções causando sentimentos negativos como irritação, constrangimento, culpa e exaustão.

 

Muitas pessoas enxergam essa necessidade e desejam ter suas casas organizadas, porém não sabem sequer por onde começar. Por isso, queremos te ajudar a transformar esta realidade negativa da desordem e te instruir através de 5 passos a como realizar uma organização prática e funcional na sua casa que vai impactar positivamente na sua vida e bem-estar.

 

PASSO 1 – IDENTIFICAR E ELIMINAR A BAGUNÇA

Identificar a diferença entre itens necessários e bagunça é o primeiro e mais importante passo a se fazer antes de iniciar uma organização.
A bagunça pode chegar a sua casa de muitas maneiras: Uma peça em promoção que você comprou porque achou que estava fazendo um bom negócio, mas no fim nunca usou; brindes e presentes indesejados; coisas que foram úteis em apenas uma ocasião e nunca mais, embalagens bonitas que você tem pena de descartar, miniaturas de toaletes de viagens que você leva para casa achando que vai usar mas nunca utiliza, cabides de lavanderia, revistas antigas, etc… Se pararmos para analisar todos os itens que guardamos em casa, essa lista de objetos desnecessários sem dúvida será longa. Portanto, antes de sair organizando a casa, é preciso dedicar um tempo para analisar tudo o que se tem e decidir de forma prática aquilo que é útil, importante e amado e merece ficar na sua casa.

Depois de identificados quais são os itens dispensáveis, os que não servem mais ou simplesmente não fazem sentido para sua vida atual, para dar o destino correto e efetuar um descarte consciente você pode separá-los em conjuntos: os que serão doados, vendidos, reciclados ou vão para o lixo.

 

PASSO 2 – AGRUPAR OS ITENS SEMELHANTES NO MESMO LOCAL

Um dos principais princípios da organização é manter itens do mesmo assunto ou da mesma família juntos. Para isso, separe os itens por categoria e escolha uma moradia permanente para cada um. Por exemplo, defina que todas as chaves da casa de uso constante deverão ser penduradas no porta chaves de fácil acesso, e todas as de uso esporádico serão guardadas na primeira gaveta do móvel do escritório, devidamente identificadas. Assim todos na casa saberão aonde encontrar as chaves!

Logo, ter um lugar de pertencimento para cada objeto na casa é um fator importante para a manutenção da organização, assim, sempre que você retirar algo do lugar, sabe aonde devolvê-lo.

 

PASSO 3 – BUSQUE O MÁXIMO DE SIMPLICIDADE

Quando você pensa em otimizar espaços, pode imaginar que é preciso de soluções mirabolantes, móveis planejados e utensílios específicos e caros para que você consiga ordenar um ambiente. Mas na maioria das vezes, a melhor solução é muito mais simples e
acessível do que parece. Você pode reciclar e dar uma nova utilidade para cestos e potinhos, além de ter a opção de criar e customizar produtos fazendo você mesmo! Inspirações não faltam na internet de tutoriais e ideias de produtos que facilitem a organização e ao mesmo tempo embelezem o ambiente.

 

PASSO 4 – CRIE UMA ROTINA QUE FACILITE A MANUTENÇÃO DA ORGANIZAÇÃO

Tenha em mente que se você deseja ter um ambiente organizado é preciso de mais do que a intenção. Estabelecer e realizar algumas tarefas de organização dentro da rotina da casa são essenciais para manter um ambiente em ordem. Converse com os demais moradores da casa, por exemplo, e peça para que assim que chegarem, coloquem imediatamente seus sapatos no local definido, assim cada um sabe o papel que deve desempenhar para colaborar com um ambiente livre de objetos jogados.

 

PASSO 5 – VALORIZE O QUE VOCÊ TEM

Uma forma de tentar evitar que a bagunça se instaure novamente e consumir de forma consciente é evitar o excesso! Pensar duas vezes antes de trazer algo novo para dentro de casa. Ao invés de se concentrar nas coisas que você precisa, porque não valorizar e dar utilidade ao que você já possui?! Em vez de querer comprar uma peça de roupa nova apenas para uma ocasião específica, treine sua criatividade fashion e experimente novas formas de usar aquilo que você já tem. Tenho certeza que você vai se surpreender com as novas possibilidades que já existem e você ainda não enxergou.

Espero que estas dicas te inspirem e ajudem a dar início à sua organização!

Érika Gama Carrijo – Loft Organizer”

 

 

E aí, vocês também prezam por uma casa organizada? Me contem nos comentários o que vocês fazem pra que isso seja possível. Me contem também se essas dicas foram úteis pra vocês.

 

 

Nos vemos em breve.

 

Com carinho, Monica

FacebookGoogle+Pinterest
em Opinião
21 dez, 2017

ESTEJA PRESENTE NESSE NATAL

Estamos na época mais festiva do ano… deliciosa, por sinal. Eu adoro esse clima natalino aliado a delícia que é encerrar um ano. Pra mim, parece que fechamos um ciclo pra reiniciar a vida em outro, sabe? Gostinho de coisa nova, de energias novas, tudo renovado e cheio vontades. É tempo de brindar, celebrar e comprar. Sim, porque por mais que a gente saiba que Natal é muito mais que aquele momentinho da troca de presentes, a gente não consegue passar ileso a ele. E nem precisa. Existem tantas formas de presentear e demonstrar carinho, né? Por isso resolvi escrever esse post, pra “dar uma luz” nessa tarefa. Embora consciente do quão atrasada estou pra abordar esse tema, decidi postar mesmo assim. Aceitem meu pedido de desculpas, por favor! heheheh! A logística de mãe de um bebê de dois meses e criadora de conteúdo anda um pouco embaralhada, mas vai entrando, aos poucos, nos eixos.

  1. ORGANIZE-SE: é fato que, se deixamos as compras pra última hora, o que acontece é que acabamos entrando no shopping e comprando a primeira coisa que encontramos. Minha sugestão é fazer uma lista com os nomes das pessoas que quiser presentear e, a partir disso, pensar em cada uma delas. Pense sobre as coisas que a pessoa gosta de fazer, as cores que mais gosta, os interesses, no que ela trabalha, com o que gosta de se divertir… a partir daí é muito mais fácil pensar em algo que possa REALMENTE agradar a pessoa.
  2. SEJA CRIATIVO: essa não é, necessariamente, uma tarefa fácil e ela depende muito do item acima. Eu adoro presentear com coisas não óbvias, sabe? fazer a pessoa que eu presenteio se sentir amada, entregar mais do que “a camiseta bonita que eu vi na vitrine da loja”.
  3. COMPRE DO PEQUENO: ouso dizer que esse item colabora muito com o quesito da criatividade. Hoje em dia existem tantas marcas pequenas, de produção nacional e com cadeia de produção respeitosa, que essa se tornou uma tarefa fácil. Uma fuçadinha básica no Instagram ou uma ida a feirinhas de marcas independentes pode ajudar muito.
  4. CAPRICHE NO CARTÃO: a gente bem sabe o poder que as palavras tem, né? Um bom cartão acaba tendo, muitas vezes, mais valor do que o presente em si.
  5. FOCO NO EMBRULHO: essa é uma das partes que eu mais gosto, confesso. Sou totalmente adepta do DIY (faça você mesmo) e embalagens de presente são um universo infinito quando o tema é esse. Além do que, podemos pensar em soluções mais ecológicas do que aquele embrulho enorme de plástico, que logo vai parar no lixo.
  6. PRESENTEIE COM EXPERIÊNCIAS: sou do time que calcula dinheiro pelo tipo de experiência que ele pode me proporcionar… Se fico com vontade de comprar alguma coisa mais cara, logo penso pra que lugar do mundo esse dinheiro poderia me levar e ai desisto da compra na hora. Mas quando falo de experiências, não falo somente de viagens. Presenteie com um jantar no restaurante daquele chef especial, com uma rodada de drinks na beira da praia, com uma ida ao teatro, com um show daquela banda incrível, com uma comida especial preparada por você, enfim… as opções são infinitas. E se couber no seu orçamento, não hesite em presentear com as passagens pra aquela viagem tão sonhada ou com a estadia naquele hotel delicioso. Eu aposto muito nesse formato de presente e acho bem difícil alguém não gostar.
  7. ESTEJA PRESENTE: eu sempre digo que, mais importante do que dar presente é estar presente. É uma tarefa difícil nessa vida louca e corrida que vivemos? É, mas a gente consegue… tenta otimizar seu tempo e corre pra ver o amigo que a tempos não vê ou pra visitar aquela pessoa da família que tá louca de saudade do seu carinho. Aposto que vale muito mais do que qualquer presente material.

Enfim, o mais importante, na verdade, é a gente lembrar que tem um mundo de coisas gostosas pra celebrar… chame os amigos, convide a família e aproveite pra espalhar amor… Que vocês tenham um Natal maravilhoso ao lado dos seus! Muito amor, muita luz e uma enxurrada de coisas boas!

 

Obrigada por me acompanharem por aqui, obrigada por todo o carinho… prometo voltar cheia de coisas boas em 2018.

 

Ah, e me contem aqui sobre as estratégias de vocês na hora de presentear? Vou adorar aprender! 😉

 

Beijos, com amor…

 

(Imagens: Pinterest)

FacebookGoogle+Pinterest
em Opinião
22 set, 2017

ESTOU DE VOLTA!

 

Depois de um longo (e necessário) hiato, decidi que já estava mais do que na hora de voltar. Andei sentindo saudade dos nossos bate papos por aqui, das trocas deliciosas e de poder compartilhar em mais caracteres um pouquinho do meu mundo e das minhas inspirações.

 

Claro que todo esse tempo ausente não foi em vão… Além de estar focada em outras coisas, também estive na busca por uma nova identidade visual que se fizesse totalmente condizente com a fase pela qual estou passando. Mais madura e vivendo um dos momentos em que a intenção do mergulho em mim mesma se faz diariamente presente, pra entender o que, de fato, faz sentido por aqui. Perfeccionista do jeito que sou, não consegui voltar até estar totalmente satisfeita com este processo. Demorei, porque foi isso o que se mostrou necessário, mas cá estou.

 

Questionei quais os assuntos que vocês mais têm vontade de ver por aqui (no meu Instagram) e percebi que – pra minha total felicidade! – estamos andando no mesmo caminho. Os desejos de vocês estão totalmente de acordo com os meus. Continuarei abordando os assuntos que já me interessavam, porém com uma abordagem um pouco mais pessoal.  Se você está chegando agora – seja muito bem vinda(o)!!!! – pode esperar por um conteúdo que busca valorizar as sutilezas do estilo de vida que mais faz sentido pra mim, as mais diferentes formas de manifestação artística, pinceladas sobre meio ambiente, bem estar, enfim… Um pouco do vasto universo de coisas que me inspiram diariamente (e das mais diversas formas). A minha vontade de somar dividindo continua latente, e mais viva do que nunca!

 

Espero que vocês fiquem tão empolgadas quanto eu com essa nova fase… Será um prazer imenso tê-las caminhando ao meu lado.  Avisarei por Instagram e Facebook sobre os posts que forem surgindo por aqui mas, de qualquer forma, não deixem de fazer uma visitinha sempre que possível. See you soon! <3

 

FacebookGoogle+Pinterest
em Opinião
21 mar, 2016

O COFRE DO FIM DO MUNDO

Em 2008, na Ilha Svalbard  (Noruega), foi inaugurado o cofre do fim do mundo. Tomei conhecimento só recentemente e achei demais! A realização é uma parceria entre a ONU e o governo norueguês, o cofre fica a 120 metros de profundidade da montanha Spitsbergen. O que está tão bem guardado? Sementes de todo o tipo de plantas com valor alimentício dos quatro cantos do mundo. É lá que vai estar a nossa salvação (e a da agricultura mundial, claro) em casos de catástrofes como quedas de asteroides, desastres climáticos ou guerras nucleares. Com o homem cada vez mais egoísta, a biodiversidade está comprometida.

arctic-doomsday-vault-tunnel-600

03seedbank.ngsversion.1443042001575.adapt.768.1

A caixa forte, mesmo sofra uma falha elétrica, está protegida pela montanha de gelo que vai garantir a refrigeração abaixo de zero mesmo em caso de falha mecânica por pelo menos 200 anos. São 3 câmaras com capacidade de armazenar 4,5 bilhões de sementes por aproximadamente 20 mil anos! Hoje já são mais de 860.000 sementes dos quatro cantos do mundo. Estima-se que mais de 40 países perderam seus bancos de sementes locais por diversos motivos, o principal é a guerra. Esse projeto pode servir, inclusive, para reabastecer bancos locais.

ap_08022607682

4186766565_b7a7a7c1ea_b-1

É a arca de Noé dos tempos modernos! Fiquei encantada por essa ideia… A primeira retirada de sementes do cofre foi solicitada pelo Oriente Médio depois que um banco foi destruído com a guerra na Síria. É incrível que alguém tenha pensado em perpetuar e proteger as espécies vegetais do planeta. Esse vídeo mostra com mais detalhes o interior do cofre, assistam e se impressionem com eu:

É ou não é maravilhoso??

FacebookGoogle+Pinterest
em Opinião
01 mar, 2016

DiCaprio, o planeta e Cowspiracy

Quem curte minha página no Facebook e perdeu a cerimônia do Oscar, viu que postei o vídeo do discurso do Leonardo DiCaprio ao receber o prêmio de melhor ator (mais que merecido, diga-se de passagem). Ele não usou o fato de que o mundo inteiro estava o assistindo naquele momento pra se promover, ele usou aquele momento de máxima audiência pra apelar: vamos cuidar do nosso planeta! Algumas pessoas menos interessadas e que, de forma ignorante, fazem pouco caso do estado em que estamos deixando nossa casa, acusaram DiCaprio de oportunismo, disseram que era marketing e mais outras coisas que não quis perder meu tempo ouvindo. Prefiro perder meu tempo estendendo o discurso dele e levando alguns dados adiante, dados esses que tomei conhecimento justamente através do próprio Leonardo, indiretamente.

The-Revenant-04-1150x748

Leonardo DiCaprio em The Revenant

Bom, ontem dividi o discurso dele e hoje divido com vocês um documentário chamado “Cowspiracy: o segredo da sustentabilidade”, um trocadilho que, em inglês, é algo como “a conspiração da vaca”. A relação entre o doc e o ator? Ele foi produtor executivo da produção de 2014 que funciona como uns tapas na cara de quem assiste. A história começa com Kip Andersen contando como sempre foi uma criança normal, de uma família clichê americana e como sempre amou acampar ao ar livre. Em um dado momento da vida assistiu “uma verdade inconveniente”, documentário do Al Gore sobre sustentabilidade. Kip passou a se preocupar mais com o meio ambiente, separava o lixo, tomava banhos curtos, regulava a água e até adotou a bicicleta como principal meio de transporte. Mas sempre pesquisou muito e desagradavelmente descobriu que a pecuária é a maior causa do aquecimento global.

cowspiracy-a-verdade-que-nao-querem-contar-e-sobre-a-qual-nao-queremos-saber.html

A indústria pecuária emite mais gases nocivos à atmosfera que todos os meios de transporte JUNTOS. Ela é responsável por mais da metade do desmatamento da Terra, afinal, é preciso plantar soja e milho pro gado comer. E é preciso espaço pra criar o gado. De todas as atividades da Terra, é a pecuária que mais consome água e ela está colaborando de forma muito ativa para o empobrecimento do nosso solo e para a desertificação do nosso planeta. O planeta está esquentando e nós vamos assistir (sim, nós, não só nossos netos), muitas espécies sendo extintas do planeta. Estamos matando animais, tirando eles de seus habitats, matando predadores pra que a população mundial tenha sua média de 250g de carne no prato DIARIAMENTE.

HAMB

O filme e meu post não são sobre parar de comer carne, não é sobre ter pena os animais, sobre como isso nos faz pessoas de péssimo coração ou coisas assim. O assunto principal é a saúde da nossa casa, é a saúde do planeta e é o futuro das próximas gerações. Quando caímos no assunto da pecuária, muita gente acha chato, acha radical, acha desagradável. É desagradável porque mexe na nossa consciência e isso é realmente perturbador. A maior inimiga da sociedade é a falta de informação, é por causa dela que ficamos no piloto automático sem questionar nossos hábitos. Se todos os meios de transportes fossem extintos e a pecuária continuasse, a atmosfera seguiria por mais de 100 anos devastadas, mas se a pecuária fosse extinta, em questão de poucas décadas notaríamos uma melhora significativa.

Consumo de água nos EUA.

Consumo de água nos EUA.

Em Cowspiracy, Kim vai até a sede dos principais órgãos de proteção ambiental para questionar por que a maioria deles jamais toca nesse assunto, já que é impossível que eles não saibam que a maior causa do aquecimento global é uma prática econômica. Bom, eles sabem, mas eles não tocam no assunto. É justamente a indústria de pecuária e laticínios que dão gordos patrocínios, eles que financiam campanhas eleitorais e, infelizmente, é o dinheiro que move o mundo. Sabiam que de todas as “categorias” de pessoas, nos EUA a prioridade de alerta do FBI são os ambientalistas? No Brasil, temos registro de mais de 1.100 ativistas ambientais mortos. Ninguém quer falar sobre o assunto porque falar sobre isso é colocar a corda no pescoço. Não sei se lembram, mas em 2005, a freira Dorothy Stang que morava no Pará e defendia o meio ambiente chamando atenção para os danos da pecuária ao planeta e defendendo cultivos sem que necessariamente significassem desmatamento, foi assassinada com seis tiros às 7:30 da manhã.

150 bilhões galões de gás metano todo dia. (1 galão = 3,79 litros aprox.)

150 bilhões galões de gás metano todo dia. (1 galão = 3,79 litros aprox.)

Eu espero muito que vocês assistam o documentário e tomem conhecimento de alguns dados, nós não podemos seguir na escuridão. Se esses dados mudarem alguma coisa na cabeça de vocês, ótimo! Se não, paciência… Mas não podemos escolher não saber a verdade. Ela está ao nosso alcance. Lembrando que isso não é um pedido pra todo mundo parar de comer carne e nem é também uma forma de condenar os que comem, é só um convite pra pensar e reavaliar nossos hábitos. Se, de 7 vezes na semana, todo mundo conseguisse reduzir o consumo pra 2 ou 3 vezes, uma grande diferença já seria notada. Eles não querem que a gente saiba, mas a gente pode fazer a diferença. Vou dividir algumas das informações que o documentário nos dá:

  • 51% das emissões de gases com efeito estufa tem sua origem na indústria pecuária e seus derivados. Pra quem não consegue imaginar o porquê, pensem em bilhões de bois soltando diariamente gás metano (extremamente nocivo) no ar e soltando seus excrementos diariamente no solo. Sim, as fezes soltam gases na atmosfera e não há sistema de saneamento bovino.
  • 91% do desmatamento da nossa Amazônia é de responsabilidade da agropecuária
  • Mais de 6 milhões de animais são mortos por hora pra que a gente possa se alimentar
  • Uma pessoa vegana economiza, por dia, 1.100l de água, 45kg de cereais, 2,79m² de terrenos florestais, 9kg de CO² e a vida de um animal.
  • Nos EUA, 56% do consumo de água é exclusivamente para o cultivo de alimentos para consumo do gado.
  • Para fazer um único hambúrguer, 660l de água são utilizados. Isso equivale a aproximadamente dois meses de banho de chuveiro.

screen-shot-2014-08-11-at-5-58-13-am

O documentário é muito rico em números, dados e pessoas influentes nas causas ambientais. É um choque de realidade, é um convite a pensar e a deixar a ignorância pra trás. Não basta separar o lixo, é preciso ir um pouco mais fundo na mudança de hábitos e isso pode ser um pouco complicado no começo, por isso muita gente evita a verdade, mas é preciso se incomodar com o que está acontecendo. O planeta vai entrar em colapso, a população mundial está aumentando e, se não mudarmos nossos hábitos e diminuirmos o consumo de alimentos provenientes da indústria pecuária e de derivados, não teremos como alimentar todo mundo sem que a gente sinta na pele os impactos dessa cultura.

O documentário está na Netflix pra quem quiser e também aqui. Kim, no fim do documentário, opta por tornar-se vegano, mas se você simplesmente optar por diminuir o consumo, adotar a segunda-feira sem carne e passar a informação adiante, o mundo agradece, o Leonardo DiCaprio agradece e eu também.

FacebookGoogle+Pinterest
em Opinião
04 nov, 2015

Por que devemos todas ser feministas.

Acho que nunca estivemos em uma fase onde o feminismo estivesse tanto em pauta quanto a que estamos vivendo agora. São projetos de lei que pareceria piada se não parecessem pesadelos, crianças sendo vítimas de pedofilia em rede nacional, é uma falta de respeito que não temos nem como medir. Aí, de repente, num final de semana aparentemente comum para adultos de 30 anos como eu, milhões de jovens estão em uma cadeira com um papel na frente sendo motivados a pensar sobre a violência contra mulher… Feminismo no ENEM! Quem diria? Aí vem uma enxurrada de textos, depoimentos e gritos de “basta!” sendo compartilhados aos montes nas redes sociais e ecoando pra fora da tela. Eu entro nesse coro de peito aberto!

Sempre pendi mais pro lado feminista, sempre acreditei no poder da mulher. Eu fui a adolescente que questionava, que se indignava, que respondia cantadas na rua com uma educação nem sempre compatível à que recebi da minha mãe, é que quando a gente é desrespeitada, algumas coisas ficam de lado nas nossas reações impulsivas. Eu fui criada com minha mãe repetindo, como um mantra, que eu deveria me tornar uma mulher independente – e forte. No entanto, todo esse discurso não fez com que eu me sentisse violentada, desrespeitada e abusada durante a vida toda, até mesmo porque todo esse desrespeito que sofremos se encontra mascarado no nosso cotidiano e a gente precisa parar e olhar pra si pra conseguir enxergar que o que achamos ser normal, na verdade, de normal não tem nada.

Sofri abuso quando vivenciei homens agredindo mulheres fisicamente, abusando da força. Sofri abuso em todas as vezes que as pessoas próximas a mim me pediram pra não colocar mais o dedo na cara daquele homem na rua que me desrespeitava (tive o prazer de fazer isso algumas várias vezes). Abuso também sofri quando senti uma mão sendo passada em mim sem meu consentimento no metrô. Sofri abuso todas as vezes que fiquei escondidinha no canto da balada pra fugir de homens bêbados passando dos limites. Me senti abusada todas as vezes que minhas amigas ficaram envergonhadas por eu responder aquele cara que falava “gracinhas” ao passar de carro por nós na rua, mesmo eu sabendo que minha resposta não passava de um grito de uma mulher cansada com a falta de respeito diária. Sofro abuso ao sentir medo de andar sozinha à noite, ao me intimidar ao entrar num taxi com um motorista homem. Sofro abuso quando sinto que preciso cruzar a rua pra evitar ouvir os comentários maliciosos do grupo de homens que vejo na calçada. Sofro abuso quando subo o volume dos fones de ouvido pra não ouvir nada do que falam pra mim. É abuso quando preciso amarrar alguma coisa na cintura pra não deixar minha bunda à mostra quando uso legging. É abusivo a desproporcionalidade salarial que existe entre homem e mulher. É abuso quando vejo a discriminação em relação às tarefas domésticas, quem disse que é só coisa de mulher? Cada uma dessas coisas, cada um desses desrespeitos quase diários deixam marcas eternas em nós. Eu, sinceramente, não consigo entender a maldade doente que existe nos homens que sentem prazer em nos deixar mal, seja com uma palavra, um gesto ou por deixar claro que está nos enxergando como um pedaço de bife.

Eu me sinto até mal por generalizar, por fazer parecer aqui que todos os homens são iguais, sendo que eu convivo com homens maravilhosos e cheios de respeito, mas não vejo outra forma pra falarmos disso, então desculpe-me. Cansamos de ser silenciadas, cansamos da cultura, opressora e eu acho que, finalmente, as pessoas começaram a enxergar o feminismo da maneira como ele deve ser enxergado, como uma luta por igualdade, respeito, liberdade de ir e vir, e não como um desejo de sermos maiores e mais fortes que os homens, porque não se trata disso. Não é uma guerra entre gêneros, muito pelo contrário.

Então, enquanto houver necessidade de entoar todos esses gritos, eu vou desejar profundamente que eles sejam feitos, que não nos falte mais voz e força. Porque feminismo não é ameaça, não é exclusivo para mulheres, é uma semente preciosa para colocarmos na cabeça dos nossos filhos… eu tenho certeza de que um mundo melhor depende também de sermos todos feministas. Vamos nessa, manas?

Não sei a autoria, mas encontrei no Pinterest e acho perfeito que a gente esclareça as diferenças. Não odeie o feminismo pelo que ele não é.

Não sei a autoria, mas encontrei no Pinterest e acho perfeito que a gente esclareça as diferenças. Não odeie o feminismo pelo que ele não é.

FacebookGoogle+Pinterest
em Opinião
06 set, 2015

O que minha carteira tem a dizer

Nem sempre tive a consciência que tenho hoje quanto ao consumo, já fui muito mais consumista e irresponsável. Na verdade, é tudo um processo, um caminho a se percorrer e pequenas atitudes a serem tomadas. O consumo sustentável e consciente é um desafio nesse mundo cada vez mais visual e superficial. Está por todo lado a imposição de que devemos ter isso e aquilo pra nos adequarmos, está na TV, nos jornais, nos outdoors, nas redes sociais e até nas conversas de bar. Precisamos mesmo? É tentador, todo mundo já se sentiu seduzido por uma vitrine, por uma marca, por um produto da moda. Mas é preciso tomar consciência.

Sobre esse assunto, tenho uma história que me marcou, pra dividir com vocês. Certa vez, eu estava precisando de uma carteira nova e adiando o ato de ir ao shopping até o último dia possível – shoppings não são meus lugares preferidos. No meio dessa minha resistência à sair em busca da carteira, apareceu aqui em casa um kit de uma determinada marca e nele tinha o quê? Uma carteira! O único problema é que vinha a “marcona” estampada! Achei uma boa oportunidade pra cancelar a operação shopping e customizar. Reciclar o que já foi produzido e não consumir mais e mais. Com um etiquetador imprimi uma frase que me inspira quanto ao consumo, cobri a marca (desculpaê! rs) e há tempos minha carteira funciona como uma espécie de post-it, toda vez que a pego pra comprar algo, a frase me diz: “pense bem”.

image1

“Compre menos, escolha bem.” (Frase da estilista Vivienne Westwood)

É claro que, de vez em quando, a gente se entrega para o consumo. Quantas vezes a gente comprou coisas por impulso e se perguntou o porquê depois de chegar em casa? Quanto mais a gente compra, mais lixo a gente produz, mais espaço a gente precisa pra armazenar; quanto mais coisas a gente tem em casa, mais energia (não necessariamente boa) se acumula; quanto mais a gente compra, mais a gente quer comprar. Eu ainda estou em um processo, mas hoje acho que vale muito mais a pena comprar poucas e boas peças, à lotar o armário e a casa de coisas de baixa qualidade; pensar muito antes de comprar do que consumir apenas por impulso. Sou a favor dos coringas, das peças multiuso, das cores neutras, do menos que sempre vira mais! Vamos falar sobre isso aqui no blog? Acho que trocar opiniões, compartilhar vivência e dividir experiências é a melhor forma de somarmos.

FacebookGoogle+Pinterest